UM TEXTO SOBRE QUEM ESCREVE

Leia mais

RESPONDA A PESQUISA DE PÚBLICO

Leia mais

RESENHA: NA NATUREZA SELVAGEM

Leia mais

INESQUECÍVEL FUNPOPFUN BY FANTA

Leia mais

23 maio 2017

Análise: HARRY STYLES


Sexta-feira (12) foi um dia de muitos lançamentos musicais, e entre eles está o álbum solo de Harry Styles. Poderia arriscar dizendo que este, talvez, tenha sido o disco mais esperado dos ex-One Direction.

O single “Sign of the times” teve uma repercussão incrível, então a expectativa era de algo no mínimo semelhante. Seguindo a música de estreia, o álbum que leva o nome do cantor tem muitas influências do classic rock. David Bowie, Queen, Pink Floyd... Todos da terra da rainha parecem ter contribuído para essa fase em que Harry está mergulhado.

O ritmo do CD foi uma total surpresa, eu particularmente não esperava esse tom. Estava acostumada com as músicas do One Direction, com a parceria de Louis Tomlinson e com o próprio "Mine of Mind" do Zayn Malik. Styles se distanciou totalmente desse estilo mais pop e comercial, tornou-se um músico novo! Me arrisco mais uma vez: Harry está melhor fora da boyband! Não só ele, mas Zayn também. Ambos encontraram a sua música, e se tornaram superiores no mercado.


Minhas impressões sobre as músicas são bem simples, todas boas, vocais talentosamente explorados, melodias harmônicas e instrumental impecável. Porém acredito que nem todas tem as qualidades necessárias para se tornarem singles.

Os destaques são “Sign of the times” (óbvio), "Two Ghosts", " Ever Since in New York", "Sweet Creature" e "Kiwi". "From the Dining Table" , minha faixa favorita, parece muito com Pink Floyd!

Na internet, o álbum repercutiu muito! Foi alvo de muitas criticas positivas, tanto do público jovem quanto do público mais velho. O próprio ex-baterista do Pink Floyd, Nick Mason, manifestou interesse em tocar com o artista.

Harry vive um dos melhores momentos da sua carreira musical, longe do One Direction se torna um nome de presença no cenário da música britânica jovem. 

Seu disco só firma ainda mais essa ideia e estou louca para tê-lo em mãos! É bom no nível de despertar interesse em pessoas que, até então, não acreditavam em seu potencial na boyband.




ANÁLISE ESCRITA PARA A PÁGINA DO LEI DE MURPHY NO FACEBOOK. CLIQUE AQUI PARA CONFERIR O CONTEÚDO.



20 maio 2017

PÂNICO

Já anoiteceu
Borrões luminosos confundem
Estressam a vista
Velocidade.

O vazio não é mais silencioso
Passos, vozes e ninguém por perto.
Aperto.

Agitação.
Passos largos e olhos atentos.
Respiração ofegante, olhos lacrimejantes.

Quer correr.
Fugir, gritar e se esconder...
Anda naturalmente.

Precisa sair!
Não quer estar ali.
Não quer estar em lugar nenhum.

Precisa de um abraço,
de alguém
Precisa de ninguém.

Aceleração.
Quase chora,
não sabe o porquê.

Cabeça baixa e desespero.
Lateja, dói, machuca.
Alucina.

Mais luzes. Piscas.
Sons, sirenes, respiração.
Agonia.

Não consegue falar.
Mal consegue andar!
Força. Muita força.

Punho cerrado.
Unhas na carne.
Dor.
Alívio.

Ombros leves, cabeça dolorida.
Olhar pesado e mãos machucadas.
Carente aguarda o sono.

Ao redor nada mudou.
Ninguém reparou!
Batalha vencida,
guerra inacabada.



15 março 2017

Pabllo Vittar


Pabllo Vittar é a drag queen que está desfilando de salto alto pela música brasileira e não está se importando em qual tabu pisa. Ela já tem o seu lugar nesse universo antes de seu sucesso “Todo Dia” com a parceria Rico Dalasam. Seu hit “Open Bar” lançado em 2015 é sob a base de Lean On do Major Lazer teve reconhecimento do DJ e produtor Diplo. 


“Então Vai” na composição de Pablo Bispo, é produzida por Diplo e já é uma das faixas do álbum Vai Passar Mal da cantora. Vittar tem potencial para estar  concorrendo com Anitta e Ludmilla já que “Todo Dia” virou um dos hit do carnaval 2017. Além de ser drag, ela se caracteriza por ter influências de celebs internacionais e nacionais em suas composições – na maioria próprias – e por transmitir tanta energia através delas. 

"Ai xô! Sou feliz, sou drag e sou bonita."


Pabllo deu uma entrevista a Trip TV, no qual ela afirma que seu ensino fundamental foi difícil e que as pessoas não a entendiam. Ela conta um episódio no qual um rapaz na fila da merenda joga nela um  prato de sopa quente. “[...] Porque na cabeça dele eu tinha que agir como homem, falar com voz de homem,  ser homem! [...]’’ explica.

Apesar do Brasil ser país da grande cultura diversificada, ainda há, infelizmente, muito preconceito em relação aos gêneros.  Mas todos nós, estamos à luta para derrubar essa barra, ou esse muro que é a discriminação. Juntos alcançaremos a realização de estar no espaço em que queremos.

 “São as bees afeminadas que estão ali na posição de frente, elas que levam o baque primeiro, elas que são apontadas, levam lâmpada na cara. Se a gente está aqui hoje, dando uma entrevista, eu montada de drag, é porque muita gente morreu e sofreu preconceito para a gente ocupar esse espaço. É fato!”  diz Pabllo, ainda na entrevista da Trip. (CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR) 

Ouça seu álbum Vai passar mal, e não se esqueça de nos contar o que achou!







20 janeiro 2017

Um desabafo sobre textos e blogagem


Olá! Eu vim problematizar, mas espero que esse texto não seja um equivalente aterrorizante "textão de Facebook". Onde em sua maioria, são desnecessários e sem lógica. Porém devo concordar que são necessários em algumas situações.

Enfim...

Ultimamente eu venho tendo a necessidade de me expressar em textos. Antes eu não pensaria duas vezes, publicaria no meu blog para compartilhar com meus leitores meus sentimentos sobre qual quer situação. Hoje eu preciso me preocupar mais, isso dá leitura? Devo ilustrar com uma foto chamativa? Um título polêmico talvez seja a solução para o número de views?
Mas por que tudo isso? Na nossa atual realidade blogs são fonte de renda, trabalho de pessoas que se matam dia ou noite, ou dos dois para produzir conteúdo de qualidade. Se entopem de cafeína para render mais, trabalhar mais e produzir mais. Criam uma rotina exaustiva! Essa é a minha realidade com a comunicação. Eu estudo para isso e tenho completa noção disto.
Porém é triste saber que textos, minha paixão, não atraem o número de leituras que são merecidas. A plataforma online destruiu aos poucos o prazer de uma leitura. Horas escrevendo e editando um texto para que um compilado de fotos gere o triplo de acessos.
Se os textos não dão certo, vamos tentar outra alternativa certo? Vídeos! Eu não sei me portar gravando vídeos! Fotografia, eu não sei tão bem quanto eu gostaria. 
Se esse texto fosse um vídeo do YouTube eu teria certeza que meus sentimentos chegariam a mais pessoas, mas quão hipócrita eu seria? Se você leu até aqui pelo menos, comenta um " Eu Li". Só para saber se os números condizem com leituras ou guias abertas.
Outra alternativa seria tratar de assuntos populares na rede. Moda? Beleza? Games? Eu, não consigo escrever sobre apesar de gostar. Fora que ao fazer isso, perderia parte de minha identidade como escritora, já que minha especialidade não é essa. Especialidade monótona, cansativa e pouco atrativa que tempos atrás era o forte da blogosfera. Triste.
Hoje o conteúdo que você produz, pode não ser o que você queira. Isso causou em mim uma frustração. E aposto que causa o mesmo em várias pessoas. Vi blogs que eu acompanhava desaparecerem, ou até se transformarem em mesmice. 
Eu gostaria que as pessoas compartilhassem mais de seus ideais na internet e não tentassem reproduzir conteúdo que eu já vi várias vezes. Gostaria que todos perdessem mais tempo lendo um blog do que rolando a página para cima e para baixo.
Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo